Forum de cinema fantástico.


Eva (2011) - Kike Maíllo

Compartilhe
avatar
Zé da Adega
Ultimate Zombie
Ultimate Zombie

Número de Mensagens : 568
Pontos : 1905
Data de inscrição : 26/12/2014

Eva (2011) - Kike Maíllo

Mensagem por Zé da Adega em Seg Abr 04 2016, 06:02



http://www.imdb.com/title/tt1298554/?ref_=fn_al_tt_2
http://en.wikipedia.org/wiki/Eva_%282011_film%29

Trailer oficial



The film is set in 2041, in the time when humans live along with machines. Álex (Daniel Brühl), a renowned cybernetic engineer, returns to his hometown of Santa Irene after a ten-year absence on the behest of the Robotic Faculty, led by Julia (Anne Canovas), his old mentor. Julia has commissioned him to finish the SI-9, a robot built to resemble a child -- a project that Álex abandoned prematurely after working on it with Lana (Marta Etura), his old lover, who is now married to David (Alberto Ammann), his brother, both of whom had given up researching to teach.

in wikipedia


Um filme muito bonito



A ficção científica, enquanto tema, dá asas a uma imensidão de géneros, pois o termo "ficção científica" diz respeito a um tema ou conceito de história, e não a um género de cinema. Neste caso concreto, os géneros deste filme serão o dramático, melodramático e o trágico-romântico.

A meu ver este é um filme muito inteligente, original e bonito, uma espécie de Heidi dos Alpes Suíços (referência à popular série de animação que passava na RTP 1 nos anos 1970 https://pt.wikipedia.org/wiki/Heidi ), transferida para uma vila universitária espanhola do futuro, cuja universidade de robótica é a mais avançada do mundo em inteligência artificial.



Eu criei um pequeno excerto de 1m33s, para os leitores verem esta universidade espanhola do futuro, mas reparem que os realísticos quadros a giz do anfiteatro, modelos idênticos aos do I.S.T. e I.S.E.L. (universidades de Lisboa, com especialização em robótica) possuem uma secção animada, do lado direito, em que podemos ver gráficos animados em tempo real a imitar o giz, enquanto a professora explica as equações matemáticas.


Eva (2011): Scene 1 (university) from Clips do Zé on Vimeo.



Esse estilo de quadros de madeira, com dois painéis, em que o professor empurra o painel cheio de equações para cima, para os alunos copiarem as equações para o caderno, enquanto puxa o painel vazio para baixo, para continuar a escrever mais quadros de equações, já é considerado obsoleto e nas instalações recentes, é substituído por um quadro branco, em que se usam marcadores com tinta.

Mas este filme também utiliza automóveis Volvo e Saab de 1980 (todos "quitados" com vidro pára-brisas revestido por um ecrã de monitor transparente, e ecrã de computador no local dos instrumentos), para além de carrões americanos dos anos 70, com os famosos e icónicos faróis com 2 quadradinhos e de carros italianos e franceses dos anos 70. Exemplo:



Outro pormenor de retro-futurismo será também o estilo de roupas do final dos anos 70 e princípio dos anos 80.


Esta é a história de um engenheiro electrotécnico espanhol do ramo de robótica, que abandonou o seu projecto de pós-graduação e foi trabalhar para a Austrália. 10 anos depois ele regressa à sua vila natal, situada nas montanhas dos Pirinéus no norte de Espanha, a pedido da coordenadora do departamento de robótica, da faculdade onde ele tinha sido aluno dela.



O propósito desse convite, é que após 10 anos de investigação, ficou pronto o hardware da rede neuronal concebida por ele, e o engenheiro é convidado a desenvolver o software de inteligência artifical/emocional para o protótipo do andróide, que deverá ser modelado segundo a personalidade de um menino humano, participante do estudo.



O engenheiro chateia-se com as crianças candidatas, e diz que não quer modelar o andróide, segundo uma criança aborrecida e parva.

A certa altura, o engenheiro passa de carro (com o seu Saab de 1980) junto de uma escola e fica fascinado com a Eva...

Quem é esta actriz que protagonizou a menina de 10 anos de idade, que foi recrutada segundo o modelo puro/ideal do cinema soviético da guerra fria, e porque é que esta cena choca com a moralidade e ideologia dos Estados Unidos da América, enquanto nação, mas é aceite moral e ideologicamente em Portugal e Espanha?



São questões muito fortes que levanto, mas que irei dar resposta.


Actriz-estudante Claudia Vega (nascida em 1999). Fotografia tirada no Sitges – Festival Internacional de Cinema Fantástico de Catalunha 2011.

Esta menina foi seleccionada de entre 3000 candidatas de toda a Espanha, em que a equipa do filme percorreu as escolas espanholas a fazer castings e provas a essas milhares de candidatas, e mesmo assim ela teve de fazer 3 provas e entrevistas em etapas sucessivas das provas de selecção.

Ora, o único caso parecido que conheço, foi o casting do filme soviético "Come and See /Vem e Vê" do realizador Elan Klimov, para encontrar o actor certo de 14 anos, para representar um soldado-criança da resistência, que testemunha e sobrevive ao genocídio da limpeza étnica, pela Alemanha Nazi.



Haverão inúmeros outros castings de actores-criança, mas estes são os dois filmes que me chamaram pessoalmente a atenção, ao ponto de eu querer saber mais no Wikipedia. O motivo foi eu ter ficado fascinado e impressionado com o realismo da escolha do actor certo, para o papel certo, que sinceramente é uma imagem de marca do cinema soviético e choca com o conceito clássico de Hollywood (que faz argumentos à medida das vedetas, que estão no momento contratadas pelo estúdio).

Aliás, eu nem deveria de ter de invocar o conceito do extinto cinema soviético, perante um filme espanhol de 2011. Mas tenho de o fazer perante a aceitação das massas em relação à falta de competência, profissionalismo e realismo do modelo de Hollywood, ainda em vigor. Digamos que o povo, em geral, não é exigente e não valoriza este conceito cinematográfico de procurar o actor certo para o papel certo.

Com isto não estou a postular que todos os filmes de Hollywood sejam uma aberração a nível do realismo da selecção de actores para cada papel, mas a verdade é que este filme espanhol de 2011 causou-me um efeito de choque (surpresa pela positiva), pelo contraste entre esta actriz Claudia Vega e certas vedetas de Hollywood.

Outro efeito de choque do filme é quando a liberdade moral dos povos europeus entra em conflito com a nação mais religiosa do mundo desenvolvido (ou industrializado ou 1º mundo), que são os E.U.A. Quando estava a ver a cena seguinte, devido à minha (nossa) exposição ao cinema e cultura norte-americana, pensei logo assim: "Epá! Os desgraçados dos americanos devem ir logo censurar este filme... não acredito que possam passar isto na TV do país deles... o que será que os americanos terão a dizer sobre isto no IMDB? Irão acusar o realizador Kike Maíllo de ser pervertido ou algo do género?"

Vejam a cena:


Eva (2011): Scene 2 (Eva) from Clips do Zé on Vimeo.



A cena anterior, é a introdução da Eva no filme, uma menina de 10 anos precoce, que chama pervertido ao engenheiro, por ele andar a observar crianças à porta da escola. Esta cena não tem qualquer mal na Europa, mas devido à minha (nossa) exposição ao cinema e valores morais norte-americanos, fiquei curioso em ler as reacções no IMDB.

Mas na verdade, no IMDB, só houve um sujeito americano que se sentiu mal com esta cena, mas esse sujeito é merecedor do meu respeito e admiração pela inteligência e maturidade do seu comentário, e pela honestidade de assumir de que ele próprio é vítima do puritanismo norte-americano, e passo a citá-lo:

"(...)The namesake of the film (Eva) played by Claudia Vega was also quite notable in her precocious nature. One thing that I notice about some European films when it comes to young girls on film (and sometimes it makes me uncomfortable) is how sexualized this character seemed to be for her age of 10. There was nothing overt and much was innocent and playful. However, there were moments that struck me as "off" and awkward in her character's interaction with the main character of the film. Let me also state for the record that I recognize that I am viewing through my Americanized puritanical filter and therefore and more sensitive to it than most. That being said, I found Claudia to be lovely as Eva and I have to admit that in the end she won my heart(...)"

Fonte: http://www.imdb.com/title/tt1298554/board/thread/205372360



Este filme tem a classificação "Para todos" em Espanha e França. Nos E.U.A. tem a classificação etária PG-13, com alerta no IMDB por conter cenas com cigarros!

Uma curiosidade espectacular e impressionante que descobri sobre esta super actriz Claudia Vega, numa entrevista em espanhol no You Tube, foi contada pelo actor principal Daniel Brühl, que explicou que é normal um actor mais velho e experiente ajudar e ensinar uma colega actriz mais nova e inexperiente como a Claudia. O que ele relatou é no mínimo insólito:

Antes de um take de uma cena melodramática entre os dois, o tipo estava cheio de stress a ensaiar as falas e a preparar-se para a cena, quando a Claudia vem ter com ele a interrompê-lo, algo que ele levou a mal, e ela pergunta-lha:

- Qual foi a coisa mais bonita que te aconteceu na vida?

O actor ficou enervado e disse que não tinha tempo para lhe responder.

A seguir a actriz Claudia disse assim:

- Olha, a coisa mais bonita que me aconteceu na vida, foi ter-te conhecido a ti!

Perante isso o actor Daniel Brühl ficou comovido, com uma lágrima ao canto do olho, e de imediato o realizador começa a filmar a cena. Quando o realizador gritou "corta!", o actor Daniel Brühl parou para pensar se teria sido coincidência a menina-actriz lhe ter dito aquelas palavras imediatamente antes da cena... Ele olhou para ela e ela piscou-lhe o olho...



Criei também este terceiro e último excerto, também insólito, que mostra os professores da faculdade do futuro, a dançarem "à antiga", estilo anos 1950, a música Space Oddity (1969) do David Bowie.


Eva (2011): Scene 3 (bar) from Clips do Zé on Vimeo.



Na minha opinião o filme Eva é muito bom, mas também não convém falar muito sobre a história...Isto acaba por ser um filme de ficção científica que envereda pelas vias poéticas e emocionais e não pelas vias filosóficas ou técnicas.



A minha classificação: 92%

Convidado
Convidado

Re: Eva (2011) - Kike Maíllo

Mensagem por Convidado em Seg Abr 04 2016, 09:44

Este filme é realmente belíssimo, tenho a edição espanhola em DVD. Gosto particularmente desta temática de A.I. Smile

Já agora, dentro da mesma linha com as devidas distâncias tens o Robot & Frank (2012) e mais conhecido temos o recente Ex Machina (2015).

Obrigado por partilhares, já não vejo o filme à algum tempo e vou rever em breve.

    Data/hora atual: Sex Set 22 2017, 18:02