Forum de cinema fantástico.


Cherry 2000 (1987) - Steve De Jarnatt

Compartilhe
avatar
Zé da Adega
Ultimate Zombie
Ultimate Zombie

Número de Mensagens : 568
Pontos : 1933
Data de inscrição : 26/12/2014

Cherry 2000 (1987) - Steve De Jarnatt

Mensagem por Zé da Adega em Qua Jun 10 2015, 09:28

A Boneca Mecânica



https://en.wikipedia.org/wiki/Cherry_2000
http://www.imdb.com/title/tt0092746/

Sinopse pela RTP

Um divertido e movimentado filme de aventuras futurista sobre um homem que gosta de mulheres mecânicas e uma mulher de "sangue quente", com Melanie Griffiths

No futuro, Sam Treadwell vive feliz com a sua bela e sensual mulher, que é na realidade um robot da série Cherry 2000. Quando a sua Cherry é vítima de uma ardente cena de amor na cozinha e entra em curto-circuito, Sam descobre que aquele modelo já não se produz. Inconsolável, Sam contrata a batedora E. Johnson para o conduzir a um depósito de robots na Zona 7, um território interdito, devastado e altamente perigoso, onde aparentemente ainda se encontram unidades Cherry 2000. Johnson aceita a missão e arrasta Sam para uma alucinante e perigosa aventura ao longo da qual Sam vai descobrir que as mulheres de carne e osso são incomparavelmente melhores que qualquer modelo Cherry.

"Boneca Mecânica" é um movimentado, divertido e acidentado filme de acção e aventuras em atmosfera futurista e apocalíptica. Um homem que gosta de mulheres mecânicas e uma mulher de "sangue quente" atravessam um Mundo devastado, sem lei nem ordem, em busca de um robot feminino. Uma odisseia recheada de imprevistos, situações difíceis e encontros inesperados ao fim da qual o homem perde todo o interesse no andróide sexual e percebe que está fascinado pela sexy e independente mulher de "sangue quente". Uma realização de Steve De Jarnatt com Melanie Griffiths no papel da sedutora, dura e determinada mulher de "sangue quente" do devastado futuro que demonstra, para além de qualquer dúvida, que uma mulher é uma mulher e um robot um brinquedo pouco fiável e desprovido de verdadeiras emoções.

in http://www.rtp.pt/programa/tv/p13065

Trailer amador:



Trailer original:

Spoiler:

No ano de 2014, revi finalmente este filme, que já andava à muito tempo com vontade de o fazer.

Trata-se da minha primeira visualização em adulto, porque a única vez que o tinha visto foi em adolescente, quando foi transmitido pela RTP. Não sei precisar o ano, mas deve ter sido perto de 1990.

Antes de proceder à minha breve e modesta opinião pessoal do filme, gostaria de realçar duas características bastante pertinentes, que estão interligadas entre si.

Este filme por um lado é da Orion Pictures, cujos gestores executivos burocratas impediram a exibição do filme em salas de cinema norte-americanas, mas que na europa além de estrear normalmente em salas de cinema, teve também direito a participação no festival Fantasporto em Portugal.



Por outro lado, na parte criativa, temos um argumento do Michael Almereyda e realização do Steve De Jarnatt. Eu entretanto vi o "Miracle Mile" realizado por Steve De Jarnatt, que adorei. Depois comecei a ver o "Twister" (filme de 1989, não é aquele dos anos 90) realizado pelo Michael Almereyda, de que estou a gostar, mas ainda só vi a primeira metade. Pelo que constatei nesta pequena amostra, este dois indivíduos "fazem o manguito" aos gestores de finanças dos estúdios, e não vão na conversa da fórmula cliché, para maximizar lucros.

Sinceramente não percebi qual foi o problema dos executivos da Orion Pictures, mas sei que teve a ver com a estranheza do filme "A Boneca Mecânica" não se encaixar em nenhum género bem definido, lá pelos contabilistas donos dos estúdios e as suas fórmulas de cálculo financeiro e previsões de lucros.

Vou então avançar com a minha pequena opinião pessoal sobre este filme....

Este filme tem coisas boas e coisas más, em que as coisas más são péssimas e as coisas boas são excelentes. Este é o exemplo perfeito do conceito do filme desequilibrado.

A Boneca Mecânica possui estatuto de filme de culto, que a meu ver é bem merecido, eu criei um excerto de cerca de quatro minutos de uma parte excelente do filme, que não representa a qualidade do produto final, porque algumas das partes são muito superiores ao todo. Convido-os a ver o clip pois ele foi pensado por mim para acompanhar este texto.



Uma das coisas que este filme faz bem é a estética do futuro alternativo que conseguiu criar, aliás umas das razões para ver este filme é mesmo admirar o seu visual e a sociedade estranha que mostra. Aqui temos um retro-futurismo que poderá ou não ser cyberpunk, mas que também é apelidado de Western Science Fiction.

Existem muitas outras cenas e sequências muito interessantes e bem conseguidas, incluindo tudo o que envolva o Ford Mustang.

A premissa base do argumento até não é má e o seu aspecto filosófico já foi abordado com sucesso em séries de antologia de ficção científica, como por exemplo "The Outer Limits (1997)". Mas aqui o filme descamba para um filme de acção parvo na segunda metade.

A parte final do filme envolve uns tiroteios muito mal feitos, que considero imaturos, estúpidos, parvos, de má qualidade, de mau gosto, mau cinema, insulto à inteligência do espectador, e por aí fora. Mas aceito essa porcaria toda em nome das coisas boas que o filme criou. Não é o filme que eu gostaria que tivesse sido feito, mas tenho de tolerar a parte negativa, porque a ficção científica é rara no cinema e há pouco por onde escolher. Em última análise gosto do filme, pelas suas partes boas, feitas com grande criatividade e originalidade, se não gostasse dele não me teria dado ao trabalho de escrever este texto.

Fica a sugestão para quem se interessar pela temática do retro-futurismo. thumbsup

PS: Já me esquecia de mencionar que a banda sonora foi composta pelo Basil Poledouris, a mesma pessoa que criou a famosa música do "Conan, O Bárbaro".

    Data/hora atual: Sex Out 20 2017, 06:05