Forum de cinema fantástico.


Bad Ronald (1974) - Buzz Kulik

Compartilhe
avatar
Zé da Adega
Ultimate Zombie
Ultimate Zombie

Número de Mensagens : 568
Pontos : 1964
Data de inscrição : 26/12/2014

Bad Ronald (1974) - Buzz Kulik

Mensagem por Zé da Adega em Seg Fev 02 2015, 01:38

Observação: Os meus últimos dois tópicos foram críticas novas, por isso aqui vai uma crítica reciclada e "velhinha" de Janeiro de 2014. rotfl

Bad Ronald



Título original: Bad Ronald
País(es) de origem: E.U.A.
Data de lançamento: 23 de Outubro de 1974 (E.U.A.)
Realizador: Buzz Kulik
Género(s): Drama, Suspence
Duração: 74 min


IMDB / Wikipedia

Informação acerca do escritor Jack Vance, que trabalhava nos três géneros literários ficção científica, mistério e fantasia:

http://en.wikipedia.org/wiki/John_Holbrook_Vance

Informação acerca do realizador Buzz Kulik:

http://en.wikipedia.org/wiki/Buzz_Kulik


Sinopse:

Bad Ronald é uma adaptação livre do livro homónimo, escrito no ano anterior, em 1973, por Jack Vance. Ronald é um rapaz adolescente mentalmente perturbado, que após assassinar uma rapariga se esconde da polícia numa dispensa/quarto de sua casa, dissimulada pela mãe dele, que o protege.

A mãe de Ronald ausenta-se para se submeter a uma operação no hospital e não sobrevive. A casa é vendida a outra família, com Ronald ainda lá escondido.


Trailer de cassete VHS nos anos 80, que inclui o preço (dos anos 80) de $49.95 (Curiosidade do conceito estranho e bizarro de tele-vendas de cassetes nos E.U.A., ler reacções nos comentários do You Tube para uma boa risada)




Opinião e testemunho: Será que a memória nos prega partidas?

Ora bem, estive cerca de 30 anos à caça deste filme, desde que fiquei fascinado quando o vi aos 4 ou 5 anos de idade na televisão. Há cerca de três anos atrás descobri finalmente o seu título e tive a oportunidade de o rever.

Eu vi este filme no estrangeiro e julgo que nunca passou em Portugal, antes de analisar o filme enquanto adulto, vou ser sincero e explicar o pouco que me lembro em criança.

Na altura não sabia o suficiente de inglês para acompanhar o filme, e mesmo que o tivesse visto em Portugal com legendas, não adiantava, pois ainda não tinha entrado na 1ª classe e obviamente não sabia ler! No entanto este filme deixou um forte impacto na minha geração pela atmosfera, conceito e visual, numa história bem contada que até um menino de 4 ou 5 anos de idade aprecia.

Em toda a sinceridade apenas me lembro de que havia um rapaz escondido em paredes falsas de uma casa, cuja mãe lhe deixou comida antes de morrer, e mais tarde foi morar outra família para essa casa. A memória prega-nos partidas, pois a partir desse conceito criei uma imagem visual da mãe lhe deixar 6-9 tabuleiros de comida, embrulhados em celofane no chão da divisão, e tal não corresponde ao filme. Na verdade eu não teria identificado o filme por um qualquer screenshot, pois o que retive na memória foi o conceito do rapazinho ficar orfão (pior medo de qualquer criança) e abandonado, escondido em paredes falsas duma casa. Não me lembrava de mais nada...

Fiz um excerto da última vez que ele vê a mãe, que lhe deixa comida, para verem de que forma uma criança de 4/5 anos fica fascinada com o filme, sem perceber a história nem saber inglês:



A razão pela qual eu estive 30 anos à procura do filme, era simplesmente querer saber porque motivo o rapaz estava escondido no quarto falso, fiquei mesmo intrigado com isso... a sério! Eu julgava que ele era atrasado mental ou assim, mas quando o finalmente revi em adulto, descobri que ele tinha morto uma rapariga e estava escondido da polícia pela mãe, que fez obras na casa e ocultou parte da dispensa e casa-de-banho do rés-do-chão da vivenda, para esconder lá o filho.

Eu não sou o único miúdo da minha geração a ter andado 30 anos à caça do título deste filme raro e obscuro, vejam este post no IMDB, com os outros zé's por esse mundo fora:

http://www.imdb.com/title/tt0071186/board/nest/40786246?ref_=tt_bd_4

O Bad Ronald é apenas um tele-filme dos anos 70, feito para a televisão norte-americana, que nunca passou nos cinemas... Mas acontece que é mesmo nos tele-filmes americanos dos anos 70 onde reside uma golden age do cinema (televisivo), uma era de grande originalidade e de filmes interessantes de qualidade, com liberdade creativa e artística, livre das imposições restritivas morais-políticas e da ganância comercial [1980-2014...], embora limitada com fracos meios financeiros, técnicos e sujeita a actores e cineastas de "2ª classe".

Uma actriz considerada de "2º classe", neste caso por motivos políticos, é a Kim Hunter, a mãe do Ronald que surge no vídeo anterior. Ela é a Doutora Zira dos três primeiros filmes da pentalogia do "Planeta dos Macacos", não a reconheci sem a máscara. A desgraçada da senhora foi vítima do regime conhecido como McCarthyism (embora esta palavra seja um eufemismo, para conceitos e procedimentos comummente associados ao 3º Reich da Alemanha entre 1933 e 1945) que arruinou a carreira promissora dela... ela foi denunciada como comunista, pelo Elia Kazam (realizador) e entrou oficialmente na sinistra Blacklist norte-americana.

http://en.wikipedia.org/wiki/Kim_Hunter

O Ronald passa o seu tempo, escondido na divisão secreta, a escrever histórias estilo "Conan, o Bárbaro" acerca do reino imaginário a que ele chama de Atranta, e desenha ilustrações nas paredes. Quando a nova família se muda para a casa, ele espreita e estuda os hábitos deles, e quando não está ninguém em casa, ele vai ao frigorífico roubar comida.

Eu achei o filme muito interessante, com uma história bem contada e mostrada. Reconheço que os valores de produção são baixos, mas sou apreciador deste estilo de tele-filmes americanos da década de 1970. Pelo menos a história é original e a equipa técnica do filme não andou contrariada a encher chouriços, a obedecer a algum algoritmo de fórmula cliché, gerado artificialmente por algum software de contabilidade.

O filme ainda não foi restaurado, durante muito tempo venderam-se cassetes e DVD's de transferências de cassetes, muito raros, na maioria das vezes piratas. Em 2009 a Warner criou um sistema de vendas, no qual grava num DVD-R virgem, uma versão de cassete, e envia por correio pela módica quantia de $14.95. É tudo muito oficial e legal, e até podem ler o comentário no site oficial de um comprador a queixar-se de que cortaram o final:

http://shop.warnerarchive.com/product/bad+ronald+1000179737.do?sortby=prod_nameAscend&refType=&from=fn

Esse esquema sinistro descrito acima, é apenas para os E.U.A., parece que o filme não é comercializado na Europa.

Agora lembrei-me das parcerias oficiais dos estúdios russos e polacos com o You Tube, conceito que apoio e que não é sinistro... thumbsup  Um exemplo que gostava que mais estúdios seguissem... Crying or Very sad

Bem... pode ser que qualquer dia alguém restaure o filme, talvez a Criterion, e que se cruzem com ele na TV ou numa prateleira do hipermercado... e se ficaram curiosos com a história, deêm uma espreitadela nessa altura...  pirat

A minha classificação: 74%

    Data/hora atual: Seg Nov 20 2017, 04:13